Uma formatura mais que especial =)

Atualizado: 20 de Fev de 2020


A conclusão de um ciclo pede um ritual.

O ritual não marca o fim, mas a transição de uma fase da vida para outra. Daí a necessidade de aniversários, velórios, festas de casamento... etc. Não importa como essas celebrações são feitas, o importante mesmo é que esses momentos “não passem em branco”.

Como professora, tenho participado de muitos dessas comemorações. Gosto de todas, mas há uma que que guardo num cantinho especial da minha memória: a formatura do Espanhol 9, em dezembro do ano passado.

A primeira vez que entrei em sala de aula foi com essa turma. Enquanto eles estavam no espanhol 3, no segundo semestre de 2010, eu estava com 18 anos, no primeiro semestre de jornalismo na UnB e com meu primeiro namorado. Conseguem imaginar o frio na minha barriga quando entrei na sala 3, às 19h, com uma turma de oito alunos?

Pois é, mesmo com medo, deu tudo certo. Aliás, certo até de mais, porque depois daquela aula comecei a cogitar mudar de profissão. E foi o que fiz três anos mais tarde: troquei a redação dos jornais pela sala de aula.

Quando soube que seria eu a professora titular do espanhol 9 fiquei bastante feliz. Foi uma oportunidade de repensar sobre meu trabalho, rever alunos queridos e observar como haviam se desenvolvido no idioma.

Os dois últimos livros da escola onde trabalho são meus favoritos. Como são livros avançados, tenho muita liberdade: trago materiais extras, faço atividades diferentes e consigo discutir com mais profundidade questões linguísticas e literárias. Sempre procuro me adequar ao grupo (afinal cada um tem uma dinâmica própria) e esse grupo era muito animado.

Mesmo lidando com dificuldades como o cansaço (os alunos viam direto do trabalho), assuntos complicados, faltas frequentes de alguns, rejeição de outros à determinadas atividades, fizemos um ótimo semestre.

Tivemos participações ativas em sala de aula, apresentações criativas e engajamento com as atividades propostas pela escola. Por exemplo, todos nós fizemos uma grande pesquisa sobre pintores surrealistas para o dia da Hispanidade (Día de la Hispanidad). Mas não paramos na pesquisa, discutimos o tema, fizemos cartazes e treinamos uma apresentação oral.

A prova oral também foi uma experiência diferente. Deixei-os a vontade para escolher uma obra literária hispanoamericana. Escolheram Crónica de una muerte anunciada, do García Marquez, e El túnel, do Ernesto Sábato. Fizemos uma roda de conversa de quase duas horas! Aprendi muito aquele dia.

O melhor de tudo foi planejar a formatura. Além de reservar alguns minutos das aulas, conversávamos bastante por e-mail e, assim, conseguíamos driblar o problema do tempo e da distancia. Como a formatura era deles e para eles, tentamos fazer algo bem pessoal e coletivo ao mesmo tempo. Montamos um texto a partir das impressões deles sobre o curso, sobre o idioma, sobre os colegas... enfim, sobre tudo o que se relacionasse com os quatro anos que passaram na escola.

Além da elaboração desse texto, gravamos um pequeno vídeo para apresentar no dia da formatura. Não ficou assim tão profissional, mas demos nosso melhor e ele cumpriu seu papel perfeitamente.

8 de dezembro de 2014. Finalmente o dia da formatura tinha chegado. Além dos meus alunos, vi pais, avós, sobrinhos, esposos, namorados, filhos e outros convidados. Os alunos também convidaram um professor que já havia saído da escola – o Rodrigo -, além de contar com a presença da professora argentina Ana Laura que apesar de não lhes ter dado aulas, os conhecia e havia levado outros dois alunos que tinham terminado o curso no mesmo período, a Ana Paula e o Samuel.

Um parêntese: mesmo tendo dado apenas um livro para esses dois, os admiro bastante. Eram muito dedicados e estudavam umas cinco horas por semana! A Ana Paula fez um discurso bonito e o Samuel, como estava viajando a trabalho, nos enviou um vídeo que apresentamos no dia da formatura.

A formatura foi muito especial (já disse isso, não é?). Fiquei muito surpresa e feliz quando meus alunos fizeram algo que não havíamos planejado: eles tomaram a frente e apresentaram um texto em homenagem a mim e ao Rodrigo. Me emocionei. Relembrei minha trajetória no caminho das letras, minha paixão pela sala de aula, o carinho que tinha por aqueles alunos e o agradável sabor de ter meu trabalho reconhecido de uma forma tão verdadeira.

Muito obrigada, queridos alunos.

Patricia, gracias por dedicarte tanto al español y por ayudar a mejorar las clases con tu energía;

Tatiana, gracias por ser tan amable y por amar tanto el español. Ah, es muy bueno saber que compartimos el mismo gusto musical (¿Te acuerdas de Sandy?)

Adriana, gracias por estudiar el español aunque no sea tu lengua favorita. Sepa que me puse muy contenta cuando me llamaste para entregarte el diploma. No lo estaba esperando.

Luis, gracias por siempre llegar temprano a las clases y por dedicarte tanto a las conjugaciones y preposiciones.

Rosemary, gracias por compartir tus lecturas, tus experiencias de vida y por haber sido una estudiante tan ejemplar.

Demorei quase um ano para escrever esse texto, mas em mim ainda estão latentes a primeiro dia e o dia da formatura dessa turma tão querida.

P.s: eu filmei as apresentações dos alunos, mas, infelizmente, meu celular pifou e perdi todos os vídeos e a maioria das fotos... =(

#saladeaula #pessoal #bastidores

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram