Pausa para agradecimento

Atualizado: 20 de Fev de 2020


Obrigada, professores!

Este é o primeiro post que escrevo para o dia dos professores. Pensei em abordar vários temas, como as recompensas de ensinar, o pouco reconhecimento da profissão, a realidade do curso de Letras no Brasil, minha experiência em sala de aula, por que decidi ser professora etc.

Mas como este é o priemeiro post, preciso falar sobre que é mais importante quando o assunto é o professor: o agradecimento.

Se você é professor - independente de ter entrado nessa profissão por escolha pessoal ou por imposição da vida - e dá o melhor de si dentro e fora de sala de aula, deixo meu agradecimento.

Não é fácil ser professor. E quando se é professor em um país que desvaloriza tanto a educação, é mais complicado ainda.

Mesmo assim, alguns ainda sonham em ser professores.

Mesmo assim, alguns ainda escolhem cursar Licenciatura.

Mesmo assim, alguns ainda preferem trabalhar para a Fundação.

Mesmo assim, alguns ainda levam trabalho para casa.

Mesmo assim, alguns ainda acreditam no poder da educação.

Mesmo assim, alguns ainda fazem muito mais do que lhes é pedido.

Mesmo assim, alguns deixam marcas muito positivas na vida de seus alunos. Mesmo assim… e eu poderia continuar...

Mesmo assim…

….

Desde que me despertei para a importância dos bons professores, me esforço em agradecê-los. Agora vou tentar, neste post, dizer obrigada àqueles que marcaram minha vida.

No Ensino Fundamemental

Raquel, obrigada por ter sido tao sensível em minha alfabetização. Eu era uma criança muito assustada, tímida e você me ajudou.

Haroldo, que saudade das suas aulas de história! Obrigada por ter sido tão criativo nas avaliações. Onde será que você está agora? (Professor de História do Ensino fundamental II)

Cíntia, sei que você está em Brasília agora, trabalhando com meu irmão. Coincidência, verdade? Muito obrigada por me ensinar a gostar de português e por ter me ajudado a ganhar aquele concurso de redação. Felicidades! (Professora de Português das 7 e 8 séries - atuais 8 e 9 anos).

No Ensino Médio

Osnir (um dos professores de Literatura mais famosos da região), obrigada pelas aulas, pelas indicações de leitura e pelas conversas sobre “o que é a verdade”. (Professor de Literatura dos1 e 2 anos do Ensino Médio).

Antônio, que vontade de conversar sobre História com você… obrigada por ter um senso crítico tao aguçado e por ter ficado (várias vezes) depois do horário para tirar minhas dúvidas. (Professor de História do Ensino Médio)

Luizão - Um professor amigo e dinâmico. Me lembro que queria ser como você: jornalista e professora de história. Obrigada pela dedicação e criatividade em sala de aula. (Professor de História do Ensino Médio).

Luz Maria, fuiste la mejor profe de español que ya he tenido. Fue un gusto poder trabajar a tu lado después de cinco años de estudio. Un beso. Gracias.

Um parêntese

Meu Ensino Médio foi ótimo. A maioria dos professores era se dedicava bastante. Neste texto, cito os professores com os quais tenho alguma memória em particular, mas há outros que foram especiais, apesar de não terem deixado algum registro específico.

A prova de serem tão especiais é que me lembro do nome deles: Diogo, de Biologia; Espíndola, de Geografia; Fernando, de Física, Sônia, de Gramática e Juliana, de Biologia.

A vocês, muito obrigada.

Na Universidade

Entrei na UnB em 2010 e já no priomeiro semestre entendi como se dava a relação professor- aluno na Universidade: em geral os docentes são muito dedicados, dispostos a nos atender fora do horário de aula, confiantes no nosso desenvolvimento intelectual, aptos a dar críticas (muitas críticas) ao nosso trabalho… enfim, eles se empenham mesmo na arte de ensinar.

O problema é outro. Salvo se o aluno participa de um projeto de pesquisa, essa relação termina no final do semestre. Mesmo diante dessa ralidade tão fugaz, alguns deles fizeram a diferença na minha formação. E a eles volto minha atenção.

Paulino, não fiz nenhuma aula com você, mas pude trabalhar ao seu lado nos projetos de extensão da FAC (Faculdade de Comunicação) e na produção e publicação de um artigo. Sua humanidade me faz visualizar a teoria de Paulo Freire e, acredite, isso é muito importante para mim. Obrigada.

Dionei, depois de cursar seu curso de Introdução à Linguística decidi, de uma vez por todas, fazer o que estava pensando há algum tempo - mudar de curso e ser professora. Ah, um detalhe: eu admirava muito seu esforço em memorizar o nome de todos os alunos - isso é raridade na graduação. Obrigada.

Simone, tenho um carinho especial por você. Quando cursei sua matéria (Fundamentos do Desenvolvimento e da Aprendizagem) estava passando por um momento complicado em minha vida - depressão, remédios controlados, início do casamento…. Você foi muito compreensiva e graças a isso pude fazer o curso ao meu tempo. Além do mais, com você aprendi a importância da autonomia e da empatia em sala de aula. Obrigada.

Maria Cintra, obrigada por me mostrar as possibilidades de prosseguir meus estudos em Literatura fora do Brasil.

E por último, pois é a professora mais recente, Virginia.

Virgínia, faz um ano e meio que estudo com você. Apesar de Literatura Contemporânea não ser minha área favorita, estou muito contente com o trabalho que temos desenvolvido. Com a monografia e o PIBIC, percebi a necessidade e importância de um orientador de ideias na vida acadêmica. Obrigada.

​Aos professores colaboradores

Antes de terminar esse texto, quero agradecer aos professores que trabalham comigo. A maioria deles são muito colaborativos. Entre eles, alguns agradecimentos especiais:

Ana Laura, ya te dije una vez y ahora te lo repetiré: no sé qué sería de mi trabajo sin ti. Y más: gracias por por presentarme nuevas posibilidades en relación al español y ayudarme a defenderlo. Un beso grande. Muchísimas gracias.

Rodrigo, te hecho de menos. Formábamos un equipo increíble - tú, Ana Laura, Ana María y yo. Gracias por todo.

Ana María, fue lindo tenerte como compañera de trabajo. Recuerdo un día en el cual estaba muy enferma y débil. Todavía no nos conocíamos bien, pero me ofreciste tu departamento para que renovara las energías, pues daría clase aquel mismo día a la noche. Muchas gracias.

Vinícios, nunca hemos trabajado juntos en la misma escuela, pero siempre me has ayudado. Gracias.

Sobre este texto

A função da linguagem chamanda "apelativa" é aquela que usamos para nos dirigir ao ouvinte/leitor - ela é a preferida da publicidade. Às vezes, ao usá-la em demasia, a mensagem perde o brilho, fica irritante, cansativa.

Hoje eu abusei da "função aperlativa" e, apesar disso, espero que o texto não tenha ficado assim tão cansativo... ... ... mas se ficou, era necessário. Há um bom tempo tenho vontade de reencontrar esses professores para agradecê-los e hoje isso foi possível graças ao Relendo, graças a este post.

Provavelmente o que escrevi não alcançará a todos, mas já me sinto satisfeita.

Não sei como terminar esta escrita. Crise de inspiração? Talvez. Muita coisa para falar e pouco espaço? É mais provável.

Fazendo um balanço do que escrevi, penso que há uma palavra, aliada a um ponto de exclamação, capaz de concluir minhas ideias: Obrigada!

#pessoal #saladeaula #diadosprofessores

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram