Planejando a aula – parte II

Atualizado: 20 de Fev de 2020


Diferente do Cinema Novo, estou em uma etapa onde não basta ter “uma câmera na mão e uma ideia na cabeça”.

As ideias para a primeira aula viram como uma avalanche, mas organizá-las foi uma tarefa bem complicada.

Como expliquei no texto anterior, seremos 3 professoras na mesma sala. Estou acostumada a preparar e ministrar minhas aulas sem ajuda ou sugestão de ninguém e, pela primeira vez, faço isso coletivamente. Apesar de desafiadora, foi uma atividade muito produtiva.

Minhas duas colegas são super dedicadas e respeitam pontos de vista que divergem do delas, o que ajudou imensamente no processo de planejamento. Juntamos nossas ideias, procuramos um meio-termo para as questões que não concordávamos e 3, 2, 1... a aula estava pronta, só faltava sistematizá-la.

Em seguida, demos início à produção do plano de aula e do material didático. Nessa fase, pesquisamos e conversamos bastante sobre o tema, a bibliografia, as possíveis abordagens. Conseguimos elaborar um plano de aula de 8 páginas.

Depois, tivemos uma orientação com a professora do Estágio e percebemos a necessidade de simplificar o material, de adequar a linguagem (que estava muito acadêmica) à idade e realidade dos alunos.

Após adaptar o plano de aula às observações da professora, compartilhamos nosso trabalho com os demais colegas da turma. Nossa aula foi bem recebida, demos liberdade para possíveis alterações - afinal cada professor tem um ritmo e preferencias particulares – e aprendemos com as discussões levantadas em sala.

Teremos 3 horas de aula, com 15 minutos de intervalo. Todos os alunos são da Rede Pública, cursam o 3º ano do Ensino Médio e se inscreveram no curso “Ler e escrever na Universidade” (nome do curso de extensão) por vontade própria.

Por conta disso, acredito que não teremos dificuldades como dispersão, conversa excessiva e falta de interesse. Estou apostando em uma turma engajada e focada. Independentemente da realidade que nos espera, temos um suporte teórico (que nunca será suficiente) capaz de (provavelmente) nos ajudar.

O último encontro com os colegas e a professora foi na quarta-feira. Muitos de nós estávamos apreensivos, mas, como disse a professora, “mais cedo ou mais tarde esse dia ia chegar. Já temos muita teoria e agora chegou o momento de colocar na prática. Com certeza também não é fácil para um dentista ir pela primeira vez no consultório e trabalhar na boa de alguém, mas no final dá tudo certo.”.

Em 2010, entrei na UnB para ser jornalista. O tempo foi passando e percebi que fui feita para a sala de aula, não para a redação. No quinto semestre migrei para Letras, apesar dos muitos conselhos contra.

Hoje, em 2016, tenho consciência do quanto ser professor é difícil, mas sei que estou no lugar certo, ainda mais apaixonada pela linguagem e pelo ensino.

Há 5 anos sou professora de Espanhol e, eventualmente, dou aulas particulares de português. Mas amanhã vai ser diferente: serei professora do ensino regular, dando aulas de Português, com alunos do o 3º ano. Ufa!

#vaidartudocertoamanha!

Até o próximo post.

#bastidores #saladeaula

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram