Na sala de aula - último dia!

Atualizado: 20 de Fev de 2020


Passou tudo tão rápido...

Por fim concluiríamos nosso estágio docente. Uma mistura de realização, felicidade e dúvida. Depois de tanta ansiedade e preparação, estávamos fechando um ciclo.

Confesso: não estava no clima para dar essa aula. Além de ter sido uma semana exaustiva, era a aula que menos havia gostado – nada contra as colegas, até porque foi a a

ula com o melhor planejamento. O tema me parecia chato e não o dominava tanto. Talvez se pudesse ter me dedicado mais na preparação, pensaria diferente.

Em virtude de todas essas baixas, pedi para a Fernanda liderar boa parte da aula e (obrigada, Fernanda!) ela aceitou. Como disse anteriormente, expectativa/teoria e realidade não combinam muito bem e quando senti a empolgação da Fernanda, entrei no clima e aula foi fluindo com tranquilidade.

Durante essa aula, senti o peso que separa diferentes gerações. Na verdade, até me vi um pouco velhinha... isso porque tanto a Fernanda quanto eu contamos muitas histórias da nossa adolescência, mas não apenas anedotas, sim historias marcadas pelo tempo, pelo contexto histórico: a evolução do Windows, como era chique ter um telefone sem fio em casa, os sofrimentos da internet de escada, os mistérios da vida sem celular, a não existência do youtube... e por aí fomos... alguns olhinhos assustados, risadas contidas, espanto geral!

Para essa aula estava planejado uma oficina de poesia concreta! Tinha certeza que seria um fracasso. Não pelo engajamento dos alunos, mas porque tive por base a aluna que fui (odiava ter que fazer trabalhos criativos com um tempo delimitado), ainda assim, tentamos. DEU CERTO!

Organizamos a turma em quatro grupos. Foi interessante ver como tentavam aplicar os conceitos que havíamos ensinado anteriormente sobre o tema. Enquanto isso, organizamos um lanche bem gostoso para selar nossa despedida. Em seguida, cada grupo apresentou sua poesia feita na cartolina.

Já ia me esquecendo. Uma das alunas de estágio (acho que foi a Cris) sugeriu que juntássemos alguns livros e os sorteássemos entre os alunos. Gostei bastante dessa iniciativa. Conseguimos livros clássicos e best-sellers, de nacionalidades distintas e de diferentes gêneros. Na nossa turma, fizemos um sorteio por interesse, assim diminuíramos as injustiças. O fator surpresa foi a Carol. Ela chegou com um monte de livros extras e, por isso, todas as alunas receberam ao menos um livro.

Nosso curso começou com 25 alunos, mas apenas 12 vieram até o final – todas mulheres, vale ressaltar. Enquanto via a redução do quantitativo, ficava preocupada. No final dessa aula fizemos uma avaliação com as alunas e aparentemente a culpa não foi nossa. Muitos desistiram por preguiça de levantar cedo no sábado.

O momento da avaliação do curso foi de estrema importância. A Fernanda, a Carol e eu preparamos previamente perguntas que lhes faríamos durante uma conversa descontraída. Também entregamos um pedaços de papel para que os alunos se sentissem à vontade para expressar algo mais pessoal, em virtude do anonimato. Conversamos bastante! Abaixo, transcrevo alguns diálogos:

Qual foi a aula mais difícil?

A aula de variedade linguística, porque tinham muitos textos.

E a mais divertida?

A aula de hoje.

O que vocês gostaram de aprender?

Sobre o preconceito linguístico. Como analisar poemas. Concordância nominal e verbal. Crase.

Antes de começar o curso, como vocês imaginaram que seria?

CHATOOOOOOO!!!! (todas, em coro)

Por quê?

Pensamos que seria como as aulas da escola. O professor falando o tempo todo e a gente só anotando. Pensei que a gente não ia poder participar.

E agora, como avaliam o curso?

Foi ótimo! Vocês deixaram a gente participar. Quando a gente fazia uma pergunta, vocês não fechavam a cara. Vocês são jovens que nem a gente e isso deixou a gente mais à vontade. Vocês ensinaram bastante sobre como escrever uma redação e a gente não tem isso nas aulas regulares... a professora fala que quem quiser escrever um texto que escreva.

O que vocês acharam das correções?

Ótimas! Vocês explicaram nossos erros e nos deram sugestões para melhorar.

O que vocês mudariam nas próximas edições desse curso de extensão?

Que o curso fosse maior, com mais sábados. Que tivessem mais produções em sala.

Edificante essa conversa, não?

As alunas nos agradeceram bastante. Uma até disse que iria sentir saudade da gente.

Bom, vou parando por aqui. Ainda escreverei mais um post. Tentarei fazer um balanço sobre o curso.

Até lá!

#despedida #bastidores #saladeaula

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram